Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

20/10/2020 às 06h40m - Atualizado em 20/10/2020 às 07h19m

Número de homicídios em Pernambuco foi acima da média nacional no 1º semestre de 2020

Com quase 2 mil homicídios registrados em apenas seis meses, Estado teve aumento de 11,8% em relação ao mesmo período do ano anterior

homicidio_em_escola_estadual

Pernambuco registrou, no primeiro semestre de 2020, um crescimento no número de homicídios acima da média nacional. Em seis meses, 1.962 pessoas foram assassinadas. Enquanto que no mesmo período do ano passado, foram 1.755. O aumento foi de 11,8%. Já a média nacional, que também registrou crescimento no número de mortes violentas, foi de 7,1%. Os dados, divulgados nesta segunda-feira (19), fazem parte da nova edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

Depois de Pernambuco comemorar 24 meses consecutivos de queda, até em novembro de 2019, os meses seguintes foram de aumentos sucessivos no número de homicídios. A exceção foi agosto deste ano. Nem mesmo o isolamento social, provocado pela pandemia do novo coronavírus, foi capaz de contribuir para interromper o ciclo de crescimento da taxa de violência armada no Estado.

No geral, segundo apontou o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, todas as taxas ligadas às mortes violentas em Pernambuco cresceram no primeiro semestre deste ano, se comparado como mesmo período de 2019. Os assassinatos de mulheres saltaram de 98 para 109 (+11,2% ). Os feminicidios subiram de 28 para 32 (+24,4%), Uma exceção foi o número de latrocínios (assalto seguido de morte). No primeiro semestre de 2019, foram 63 casos, Já no mesmo periodo deste ano, 59.

MORTES A ESCLARECER

O Anuário Brasileiro de Segurança Pública também apontou as taxas de mortes a esclarecer - que são aquelas que, inicialmente, não são caracterizadas como homicídios porque podem ser suicidio ou falecimento por causas naturais, por exemplo.

Em Pernambuco, a taxa de mortes a esclarecer também subiu. Em 2018, foram 183 registros. Já em 2019, foram 226. O aumento é de 22,7%. Os dados do primeiro semestre deste ano não foram divulgados pelo estudo.

Fonte: JC Online

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias