GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

13/01/2021 às 07h21m

Morre Maguito Vilela, prefeito de Goiânia (GO), vítima da Covid-19

Político estava internado em São Paulo e tomou posse na UTI do hospital

maguito_vilela

O prefeito licenciado de Goiânia (GO), Maguito Vilela (MDB), 71, morreu na madrugada desta quarta-feira (13) no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, onde estava internado desde o dia 27 de outubro em razão de complicações decorrentes da Covid-19.

Segundo informações de sua equipe de comunicação, uma infecção pulmonar foi diagnosticada na semana passada e Maguito não resistiu.

O corpo do prefeito será levado de São Paulo para Goiás e ele deve ser sepultado em Jataí, sua cidade natal, a 320 km da capital.

Maguito tomou posse no dia 1º de janeiro com assinatura eletrônica na UTI (unidade de terapia intensiva) do hospital. Uma hora e meia depois, o vice-prefeito, Rogério Cruz (Republicanos), assumiu o governo interinamente e participou da transmissão do cargo. Após Maguito ter sido empossado, a equipe de transição solicitou afastamento dele para tratamento de saúde por tempo indeterminado.

Advogado e político tradicional, Maguito já foi vereador, deputado estadual e federal, vice-governador, governador e senador.

Na campanha eleitoral pela Prefeitura de Goiânia, ele precisou se afastar ainda no primeiro turno após receber o diagnóstico da Covid-19. Inicialmente, foi internado em um hospital de Goiânia com 75% de inflamação nos pulmões e, em seguida, transferido para o Einstein.

Foi a primeira vez que o emedebista disputou a Prefeitura de Goiânia.

No segundo turno, Vilela teve 52,60% dos votos (277.497). Ele derrotou o senador Vanderlan Cardoso (PSD), que alcançou 47,4% dos votos (250.036). ​

Ao ser informado sobre a vitória, no dia 29 de novembro, quando estava consciente, ele deixou "escorrer algumas lágrimas"

O vice-prefeito Rogério Cruz, 56, é pastor evangélico e foi vereador na capital durante dois mandatos. Durante a campanha, seu nome foi questionado por ter declarado apenas R$ 81,39 à Justiça Eleitoral.

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias