GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

04/02/2021 às 08h24m

Deputado apresenta projeto para reconhecer cuscuz como patrimônio cultural imaterial de Pernambuco

O projeto será avaliado em duas comissões da Assembleia Legislativa.

cuscuz_gigante

O deputado estadual Gustavo Gouveia (DEM) apresentou um projeto para que a comida Cuscuz seja reconhecida como “Patrimônio Cultural Imaterial de Pernambuco”.

“Existem muitas receitas de cuscuz pelo mundo, mas nenhuma como a do Cuscuz nordestino, prato tão típico do povo pernambucano. A iguaria é feita com milho e cozida no vapor, normalmente em uma cuscuzeira. Mais parecido com o cuscuz africano, o nosso é granulado e recebe muitos acompanhamentos como ovos, manteiga, carne de sol. Já em sua versão doce, o Cuscuz é embebido em leite de coco. O alimento é geralmente consumido no café da manhã, mas não raro está presente nas outras refeições diárias. Não restam dúvidas, portanto, de que o Cuscuz se trata de um patrimônio cultural imaterial do povo pernambucano”, justificou o parlamentar.

O projeto será apreciado agora em duas comissões da Assembleia Legislativa.

História

O cuscuz é um prato originário do Norte do continente africano. Em Portugal, no século XVI o alimento fazia parte da refeição diária, partilhando a mesa com o arroz e outros cereais. Na Tunísia, o cuscuz tem “estatuto” de prato nacional, mas em Marrocos e Argélia é praticamente o prato do dia.

 

No Brasil, o cuscuz pode ser feito à base de farinha ou polvilho, de milho, arroz ou mandioca. Salgada e levemente umedecida, a massa é colocada para cozinhar no vapor. O cuscuz pode ser incrementado com outros ingredientes, como é o costume na região Sudeste, ou apenas ir acompanhado de leite, ovos, manteiga ou carne-de-charque, como é a preferência no Nordeste.

No São João de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, a celebração da comida à base de milho, típica dos festejos de junho, é levada à sério pela população. Um cuscuz gigante é feito anualmente para alimentar os forrozeiros. Neste anos, devido à pandemia da covid-19, a tradicional festa não aconteceu.

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias