GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

17/05/2019 às 08h36m - Atualizado em 17/05/2019 às 14h33m

Bolsonaro diz que repórter deveria 'entrar de novo numa faculdade que preste'

A profissional havia questionado o presidente sobre o perfil das universidades brasileiras mencionadas por ele como expoentes na pesquisa acadêmica do Brasil.

jair_bolsonaro_2

Na mesma coletiva de imprensa em que saiu em defesa do filho Flávio Bolsonaro nesta quinta-feira, em Dallas, no Texas, o presidente Jair Bolsonaro a atacou a imprensa e sugeriu que uma repórter deveria voltar "numa faculdade que preste" para fazer "um bom jornalismo". A profissional havia questionado o presidente sobre o perfil das universidades brasileiras mencionadas por ele como expoentes na pesquisa acadêmica do Brasil.

Inicialmente, Bolsonaro afastou as críticas de acadêmicos, que têm reclamado sobre o possível impacto nas universidades a partir dos cortes na Educação — o bloqueio no orçamento foi objeto de protesto em todos os estados na quarta-feira. Segundo o presidente,  "entre as 250 melhores universidades do mundo não tem nenhuma brasileira", o que inviabilizaria as colocações sobre as pesquisas. Bolsonaro disse que "pesquisa até temos, na Mackenzie, no IME, no ITA, em poucas universidades".

Pela falta de recursos se faz contingenciamento. Todos os governos já fizeram isso, inclusive na Educação. Aqui nos Estados Unidos uma repórter da Folha desconhecia a diferença entre corte e contingenciamento. Nós explicamos. Assista: 

A partir da fala do presidente, a repórter questionou o motivo de o presidente citar uma universidade particular (Mackenzie) como exemplo de pesquisa. Bolsonaro afirmou que não havia citado instituições privadas, afirmou ironicamente que tinha diante dele uma especialista em orçamento e recomendou que a profissional voltasse a estudar. 

"Primeiro, você tem que entrar de novo numa faculdade que presta e fazer um bom jornalismo. O jornal tem que fazer isso e não contratar qualquer uma ou qualquer um para ser jornalista, para ficar semeando a discórdia e perguntando besteira por aí e publicando coisas nojentas", disse o presidente enquanto os próprios apoiadores gritavam em reação positiva à resposta.

Em seguida, Bolsonaro perguntou se a repórter queria continuar a debater com ele. Ao ouvir que ela apenas queria saber sobre os cortes orçamentários, Bolsonaro encerrou a entrevista.

"Todas as áreas são essenciais. Ciência e Tecnologia é tão importante quanto Educação. Temos que investir em conhecimento, se não, quando acabarem nossa commodities, vamos viver do quê? Não somos herbívoros", concluiu Bolsonaro.

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias