GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

18/05/2020 às 22h27m - Atualizado em 19/05/2020 às 01h09m

Casos de bebês infectados por coronavírus em Pernambuco aumentam e acendem alerta

Cuidados de higiene com os bebês e crianças devem ser redobrados, como uso de máscaras, lavar as mãos e manter a casa sempre limpa

uti_neonatal

A cada dia, cresce o número de crianças e bebês infectados com coronavírus em Pernambuco. Neste momento, ficar alerta aos cuidados com os pequenos é ainda mais fundamental. Uma família do município de Serra Talhada, no Sertão, vivenciou essa realidade de perto nos últimos dias. Mas, apesar do susto, a recuperação do pequeno Heitor, de apenas cinco meses, foi bastante feliz e emocionante.

O bebê recebeu alta, depois de lutar por 37 dias contra o coronavírus, na unidade de terapia intensiva do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc). Heitor deu entrada na Unidade de Terapia Intensiva no dia 8 de março, quando tinha apenas 3 dias de vida. Foram momentos difíceis, mas, no domingo, ele finalmente recebeu alta da UTI. A enfermeira Marister Reis acompanhou desde o início a luta de Heitor contra a covid 19, e fala emocionada sobre a recuperação do menino.

“Heitor é uma criança forte que chegou debilitado e precisou ser entubado. Foi uma intubação difícil, horas em cima de Heitor para ele poder estabilizar. Nós tivemos muito trabalhos com Heitor, mas ele mostrou que era um menino muito forte”, contou a enfermeira.  

Apesar de sair da UTI, o bebê segue sem previsão de alta. A médica Cláudia Abreu conta como devem ser os próximos dias dele.

Agora, a programação é para ele é terminar o antibiótico e seguir com todo um tratamento e acompanhamento das equipes de fonoaudiologia, de terapia ocupacional e fisioterapia para que ele tenha o pleno desenvolvimento e recuperação desse tempo que ele ficou acamado.” Embora essa seja a história de Heitor, muitos outros bebês não estão apresentando a mesma recuperação. 

Apesar de serem raras as mortes de crianças provocadas pela doença, elas estão acontecendo. O infectologista Paulo Batista explicou como esses casos costumam acontecer.

As crianças morrem geralmente quando elas têm alguma doença associada, como doença do coração ou doença dos rins ou doença da imunidade, ou quando, durante a evolução da covid, elas peguem infecção por bactéria.

Vale lembrar que os cuidados de higiene com os bebês e crianças devem ser redobrados, como usar máscara, lavar as mãos e manter a casa sempre limpa.

Fonte: Rádio Jornal

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias