GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

08/01/2020 às 17h37m - Atualizado em 08/01/2020 às 18h04m

Casal é preso suspeito de matar bebê de um ano em São Paulo

Mãe e padrasto teriam sido os responsáveis pela morte da criança que tinha marcas de mordidas no rosto e fraturas pelo corpo

sao_paulo-casal_suspeito_de_matar_bebe

A mãe e o padrasto de um bebê de 1 ano 3 meses foram presos em flagrante por suspeita de terem matado a criança em Praia Grande, litoral de São Paulo. De acordo com o laudo médico, o menino chamado Anthony Daniel de Andrade Moraes tinha marcas de mordidas no rosto e vários hematomas pelo corpo. As informações são do G1.

O bebê foi levado já sem vida para a Unidade de Pronto Atendimento Samambaia por um dos suspeitos. Ronaldo Silvestrini Junior, padrasto do menino, chegou ao hospital com o bebê por volta das 23h40 do domingo (5). Assim que os enfermeiros de plantão identificaram os sinais de agressão na criança, chamaram a Polícia.

Segundo testemunhas que prestaram depoimento à Polícia, o bebê foi socorrido com sangue na boca e mordidas no rosto. O padrasto afirmou à polícia que as mordidas foram feitas por um filhote de cachorro na família. No entanto, a polícia concluiu que as marcas eram de dentição humana, o que em seguida, o padrasto disse que teria sido o outro filho do casal de cinco anos que machucou o bebê.

Giulia de Andrade Candido, mãe do garoto, não acompanhou o marido no socorro. Ela justificou que não teve tempo, pois trabalha muito. Em depoimento, Giulia alegou que chegou do trabalho às 20h00 e viu o filho de longe enrolado no cobertor, mas não quis acordá-lo. Eram 23h30 quando a mãe percebeu que o menino estava morto.

Segundo a polícia, houve contradição nos depoimentos do casal sobre os hematomas. Havia fraturas no crânio, tórax, clavícula, no nariz, mandíbula. Ambos contaram que não se lembravam de como o bebê havia se ferido, mas depois voltaram atrás dizendo que ele tinha caído da escada dois dias antes.

O caso está sendo investigado pelo Departamento de Polícia de Praia Grande. O padrasto foi detido por homicídio triplamente qualificado e a mãe está respondendo por falso testemunho, com valor de fiança em 10 salários mínimos.

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias