GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

25/03/2020 às 15h16m - Atualizado em 25/03/2020 às 16h24m

Em Pernambuco, operação intensifica fiscalização ao transporte alternativo de passageiros

Ações de bloqueio e abordagem em rodovias estaduais foram planejadas pelo Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR) com o objetivo prevenir a transmissão do Coronavírus.

rodoviaria_estadual

Ações de bloqueio e abordagem em rodovias estaduais, envolvendo BPTran, BPRV e EPTI, foram planejadas pelo Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR) com o objetivo prevenir a transmissão do Coronavírus

As forças de segurança iniciaram, na manhã desta terça-feira (24), uma operação de fiscalização e repressão ao transporte clandestino de passageiros. A ação conjunta, envolvendo Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran) e Empresa Pernambucana de Transporte Coletivo Intermunicipal (EPTI), visa coibir a aglomeração de pessoas e a disseminação do novo Coronavírus.

A operação, planejada e coordenada pelo Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR) da Secretaria de Defesa Social, conta com pontos de bloqueio em algumas das principais rodovias estaduais, como a PE-90 (Agreste e Mata Norte), PE-45 (Mata Sul) e PE-60 (RMR e Mata Sul).

“As polícias e órgãos de trânsito já fazem, ordinariamente, a fiscalização ao transporte remunerado irregular, uma infração gravíssima que acarreta 7 pontos na CNH, multa de R$ 293,47 e remoção do veículo. Mas estamos intensificando essa ação para prevenir a transmissão do novo Coronavírus, conforme novas determinações do Governo de Pernambuco, que proíbe reuniões com mais de 10 pessoas e os serviços de mototáxi. A utilização clandestina de vans, caminhonetes e kombis, muitas vezes com mais de 10 passageiros, representa um risco à saúde pública de todos. Além disso, os condutores também podem ser autuados conforme o artigo 268 do Código Penal, que prevê detenção de 1 mês a 1 ano em caso de infração de medida sanitária preventiva”, explica o comandante do Batalhão de Policiamento de Trânsito, tenente-coronel Geovani Nascimento.

Comente o assunto no final da página

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias