GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

28/05/2019 às 07h49m - Atualizado em 28/05/2019 às 20h47m

Ação da polícia Civil em Paulista prende empresários e afasta secretário e servidores por suspeita de fraude em licitação na compra de alimentos

Mandados de prisão são contra quadrilha suspeita de praticar diversos crimes, entre eles fraudes em licitações

draco

Uma operação contra fraudes em licitação e corrupção na prefeitura de Paulista, no Grande Recife, prendeu dois empresários, nesta terça-feira (28). A Justiça determinou também o afastamento das funções de um secretário municipal, de um responsável por pregões e de três servidores. São investigados contratos que totalizam R$ 600 mil na compra de alimentos.

Os presos são os empresários Norberto Pessoa Brito e Aluísio Mendes de Araújo. Ficam afastados das funções na administração municipal o secretário de Políticas da Juventude e Esportes, José Augusto da Costa, e mais quatro pessoas que não tiveram nomes divulgados.

De acordo com o delegado Jean Rockfeller, diretor de Polícia Especializada, os empresários se uniram para fraudar a compra de alimentos para abrigos de acolhimento para idosos e dependentes químicos. "Eles se uniam para direcionar as licitações", afirmou o policial.

Ao todo, a Vara Criminal da Comarca de Paulista expediu 15 mandados de busca. Segundo Jean Rockfeller, na casa do responsável pelas licitações, a polícia apreendeu R$ 230 mil. Também foram apreendidos cinco carros.

"Identificamos que os empresários não entregavam os alimentos ou forneciam produtos sem qualidade e até vencidos", observou.

A investigação, que resultou na operação desta terça, começou em janeiro deste ano e está sob a responsabilidade do delegado Diego Pinheiro, do Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado (Draco).

Denominada Convescote, a ação desta terça mira um grupo criminoso ligado a fraudes em licitações, falsidade ideológica, corrupção passiva e ativa.

Ao todo, 80 policiais civis do estado foram escalados pela ação, entre delegados, agentes e escrivães. Os presos e apreensões são encaminhados à sede do Draco, no bairro de Tejipió, no Recife.

 

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias