GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

18/06/2021 às 17h59m - Atualizado em 18/06/2021 às 19h50m

Dois vereadores e ex-parlamentar são presos por suspeita de crimes eleitorais no interior do Rio Grande do Norte

Ex-assessor e diretor de clube de futebol também foram detidos nesta sexta-feira (18), durante Operação Dízimo. Parlamentares foram afastados dos cargos por 180 dias.

parnamirim-vereadores_presos

A Operação Dízimo, deflagrada pelo Ministério Público Eleitoral na manhã sexta-feira (18) prendeu dois vereadores e um ex-vereador de Parnamirim, na região metropolitana de Natal, por suspeita de crimes eleitorais. Além deles, também foram detidos um ex-assessor e o presidente de um time de futebol.

Ao todo, a operação cumpriu 5 mandados de prisão temporária e outros 10 de busca e apreensão na cidade. Além de detidos, os vereadores foram afastados dos cargos por seis meses.

Os supostos crimes investigados são falsidade ideológica eleitoral, lavagem de dinheiro, peculato e associação criminosa

Foram presos:

  • Ítalo de Brito Siqueira, vereador
  • Rhalessa Cledylane Freire dos Santos, vereadora
  • Alex Sandro da Conceição Nunes da Silva, ex-vereador
  • Sandoval Gonçalves de Melo, ex-chefe de gabinete de vereador, presidente do partido Solidariedade no município e presidente do clube de futebol Visão Celeste.
  • Danilo Rodrigues Peixoto de Vasconcelos, diretor do clube de futebol Visão Celeste.

Após as prisões, os envolvidos foram levados a um prédio do Ministério Público para prestar depoimento.

Os advogados do vereador Ítalo Siqueira (PSDB) informaram que ainda não tiveram acesso ao processo que culminou com sua prisão temporária. "No entanto, tão logo tomem conhecimento de todos os fatos, tudo será esclarecido com a maior transparência possível, pois acreditamos em Deus, na Justiça e no nosso trabalho".

Em nota, a Câmara Municipal de Parnamirim informou que acompanha com atenção a operação realizada pelo Ministério Público Eleitoral, sobre fatos relacionados às eleições, "colocando-se desde já à disposição para auxiliar no esclarecimento de todos os fatos".

Crimes eleitorais

Para o MP Eleitoral, o ex-vereador Alex Sandro, na condição de presidente de fato da associação Proamfa, junto com vereadores Ítalo Siqueira e Rhalessa dos Santos, atuavam diretamente na busca de fontes de recursos para entidade, convencendo vereadores a destinarem emendas parlamentares à associação. O objetivo, segundo o MP, seria o desvio dos recursos públicos para finalidade eleitoral.

A atuação do grupo já havia sido alvo de uma outra operação do MP Eleitoral. Dos cinco presos nesta sexta, três já haviam sido denunciados por crimes eleitorais e associação criminosa, segundo o MP: Alex Sandro, conhecido por pastor Alex; Sandoval de Melo, conhecido como pastor Sandoval; e Danilo de Vasconcelos, também denominado pastor Danilo.

Esses três foram alvos da operação Mateus 7:15, deflagrada em novembro de 2020. Com auxílio do MPRN, foram apreendidos aproximadamente R$ 70 mil em espécie faltando poucos dias das eleições municipais, em endereços vinculados ao ex-vereador.

De acordo com os investigadores, foi constado que entregas de cestas básicas na associação comandada pelo ex-vereador eram condicionadas à apresentação do título eleitoral, justamente para quantificar os eleitores por local de votação e facilitar visitas aos eleitores posteriormente.

Além disso, a Associação Proamfa recebeu recursos públicos do município, diretamente e através de emendas parlamentares de vários vereadores. A suspeita é que os políticos investigados desviavam verba em benefício da campanha eleitoral deles, em detrimento dos demais adversários, causando "forte desequilíbrio" da disputa eleitoral e influência na legitimidade do pleito.

Fonte: G1 RN

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias