GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

10/12/2014 às 15h27m - Atualizado em 11/12/2014 às 22h20m

Polícia Federal (PF) desarticula organização criminosa que fraudava licitações em Macaparana, Recife, Olinda, Tamandaré, Bonito, Floresta e Tacaratu

Os alvos das buscas são 5 prefeituras, residências de indivíduos, 4 empresas, e 1 escritório de contabilidade.

A Polícia Federal, juntamente com a Controladoria Geral da União (CGU) e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), desencadeou hoje (10) a operação Invictus*. Objetivo é desarticular uma associação criminosa composta por empresários do ramo de livraria e papelaria que formaram um cartel para fraudar licitações realizadas em Pernambuco, relacionadas principalmente a programas do Governo Federal das áreas de educação e assistência social.

Foram cumpridos 15 Mandados de Busca e Apreensão, bem como 8 intimações. A operação conta com um efetivo de 84 Policiais Federais, 08 servidores da Controladoria Geral da União e 11 do Conselho Administrativo de Defesa Econômica. As buscas e apreensões foram realizadas nos municípios de Recife, Olinda, Tamandaré, Macaparana, Bonito, Floresta e Tacaratu. Os alvos das buscas são residências de indivíduos, 4 empresas, 5 prefeituras e 1 escritório de contabilidade.

As investigações começaram no ano de 2011 através de denúncias chegadas a Polícia Federal, que instaurou inquérito com o objetivo de investigar as irregularidades. Através de perícias, constatou-se um sobrepreço que varia de 5% a 88% nos contratos analisados até o momento. Há indícios também de falsificação de notas fiscais.

Por enquanto as investigações não apontam o envolvimento dos gestores das respectivas Prefeituras e os prejuízos aos cofres públicos ainda estão sendo contabilizados. Todo o material apreendido será encaminhado para a sede da Polícia Federal em Recife e passará por análise e perícia técnica a fim de subsidiar as investigações.

Além disto, os empresários envolvidos nas fraudes estão proibidos pela Justiça Federal de firmar contratos com órgãos públicos, e terão bens sequestrados visando à reparação do prejuízo causado a esses mesmos órgãos. Eles foram indiciados pelos crimes de formação de cartel, fraudes em procedimentos licitatórios, desvios de verbas públicas e associação criminosa.

*O nome da operação é uma alusão ao fato de dificilmente as empresas do grupo serem derrotadas nas licitações das quais participam.


Timbaúba Agora com informações da assessoria da PF

Foto: Divulgação/Polícia Federal

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias