GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

04/02/2021 às 21h30m - Atualizado em 04/02/2021 às 23h46m

Brasil registra 1.232 mortes por Covid-19 em 24 horas; total chega a 228.795

País tem 9,3 milhões de infectados pelo novo coronavírus desde o início da pandemia

ministrio-da-saude

O Brasil chegou nesta quinta-feira à marca de 228 mil mortes causadas pela Covid-19. Nas últimas 24 horas foram registrados 1.291 óbitos, elevando para 228.883 o total de vidas perdidas para o novo coronavírus. A média móvel foi de 1.030 mortes, 3% maior do que o cálculo de duas semanas atrás.

Foram contabilizados 57.848 novos casos desde as 20h de quarta-feira, totalizando 9.397.769 de infectados pelo Sars-CoV-2 no país. A média móvel foi de 48.140 diagnósticos positivos, 7% menor do que o cálculo de 14 dias atrás.

A "média móvel de 7 dias" faz uma média entre o número do dia e dos seis anteriores. Ela é comparada com média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda dos casos ou das mortes. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o ruído" causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão.

Mais de 3 milhões de doses de vacina contra Covid-19 já foram aplicadas no Brasil. Os dados de 21 estados apontam que 3.043.108 doses já foram aplicadas no país, o que representa 34,41% das doses disponíveis, 1,89% da população brasileira com mais de 18 anos e 1,44% da população total.

Os dados são do consórcio formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo e reúne informações das secretarias estaduais de Saúde divulgadas diariamente até as 20h. A iniciativa dos veículos da mídia foi criada a partir de inconsistências nos dados apresentados pelo Ministério da Saúde.

Oito estados estão com mais de 80% de ocupação de leitos de UTI

Levantamento do GLOBO feito nesta quinta-feira (4), com dados das secretarias de Saúde de 26 estados e do Distrito Federal mostra que pelo menos oito estados estão com mais de 80% de taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivos para a Covid-19 — o maior número desde o primeiro balanço, feito em meados de dezembro passado.

Acre (com 84% de ocupação), Amazonas (96%, dados apenas de Manaus), Ceará (85,3%), Goiás (88,4%), Mato Grosso (80,5%), Paraná (84%), Pernambuco (81%) e Rondônia (95,1%) veem sua capacidade de assistência hospitalar sob pressão.

Em todo o Brasil, mais de 29 mil pessoas estão internadas por Covid-19 em leitos públicos de enfermaria e UTI. O número variou para baixo desde o último balanço, de janeiro, que apontou cerca de 30 mil internações simultâneas pela doença na rede pública.

Contudo, ainda altos, os índices tornam-se mais preocupantes na medida em que a sobrecarga da rede pública de saúde volta a aumentar pelo território brasileiro.

O número atual de estados com mais de 80% de ocupação de leitos de UTI para a Covid-19 é o maior desde o primeiro balanço realizado, entre 14 e 16 de dezembro 2020. Então, eram sete os estados que apresentavam índices dentro desta faixa.

Dos estados que se encontram em condição mais delicada atualmente, a maior parte (5) fica no Norte e no Nordeste. Nessas regiões, há areas em que unidades públicas de terapia intensiva sequer existem. Como no Amazonas, que só tem UTIs na capital, Manaus.

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias