GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

21/03/2020 às 10h29m - Atualizado em 21/03/2020 às 16h58m

O novo coronavírus pode permanecer até 3 dias em superfícies; diz cientistas

Cientistas descobriram que o Covid 19 pode ser detectado de dois a três dias no plástico e aço inoxidável, 24 horas no papelão, quatro horas no cobre e três horas no ambiente.

coronavirus_3

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde) ainda não há certeza sobre o tempo de permanência do novo coronavírus em ambientes e superfícies, que pode variar de horas a dias, a depender do tipo de superfície, temperatura e umidade no ambiente.

Cientistas da Universidade de Princeton descobriram que no ambiente o novo vírus pode ser detectado por até três horas. Em superfícies, descobriram que ele pode permanecer até quatro horas sobre o cobre, 24 horas sobre papelão e de dois a três dias em plástico e aço inoxidável. O estudo foi publicado como pré-print – isto é, sem revisão por outros cientistas – no The New England Journal of Medicine.

Uma análise de 22 estudos anteriores sobre os tipos de coronavírus causadores da Sars (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e da Mers (Síndrome Respiratória do Oriente Médio), publicada no Journal of Hospital Infection, concluiu que esse tipo de vírus pode permanecer em superfícies inanimadas por até nove dias em temperatura ambiente.

A maioria das pesquisas analisadas mostraram que temperaturas superiores a 30ºC ou 40ºC reduziram altamente a persistência dos patógenos causadores da Sars e da Mers em humanos. Em relação à umidade, os vírus se mostraram mais persistentes em ambientes mais secos, ou seja, com níveis abaixo de 30%.

A consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia e professora da Unicamp Raquel Stucchi destaca que o vírus pode ser inativado por meio de limpeza com uso de substâncias desinfetantes, como álcool com teor entre 65% e 72% e água sanitária. Em relação a jornais e papel-moeda, ela afirma que, com base nos casos já registrados até o momento, não parecem ser vias de transmissão.

"Sabemos que pode haver a transmissão por meio das fezes, por isso a recomendação de redobrar os cuidados básicos de higiene depois de evacuar", disse.

A médica orienta que, após ter contato com uma superfície, como maçanetas, a pessoa lave as mãos com água e sabão, por vinte segundos, frente e verso, entre os dedos e até os punhos. Caso não seja possível, utilize álcool em gel a 70% para higienização. Também evite compartilhar garfo, faca e talheres e utilize papel para fechar torneiras.  Folha de São Paulo

prevencao-coronavirus-v2

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias