GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

10/05/2019 às 09h19m - Atualizado em 10/05/2019 às 10h59m

Governadores do Nordeste pedem a Bolsonaro para revogar os cortes no orçamento das universidades

Bloqueio de 30% foi anunciado pelo Ministério da Educação na semana passada. Gestores também cobraram mais obras de infraestrutura na região.

encontro_de_governadores_nordestinos_em_brasilia

Os governadores do Nordeste pediram nesta quinta-feira (9) ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) que os cortes de verbas para universidades e institutos federais sejam revistos e que haja mais obras na região, especialmente nas áreas de mobilidade, de segurança hídrica e habitacional. Os gestores se reuniram por cerca de duas com o capitão da reserva no Palácio do Planalto, em Brasília.

Na ocasião entregaram uma carta de apenas duas páginas em que reivindicam também a prorrogação e ampliação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e a negociação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef).

“É uma preocupação para a manutenção e o funcionamento de todas as instituições, e os reitores tem cobrado a nós governadores”, afirmou o governador do Ceará, Camilo Santana (PT). Segundo o governador Paulo Câmara (PSB), a escolha de apenas dois pontos a serem abordados foi estratégico.

“Cada estado tem sua particularidade e seria improdutivo trazer uma lista de solicitações que contemplasse todos esses pontos. O foco na educação e na retomada das obras foi uma opção estratégica para nossa região e para o Brasil”, afirmou o socialista após o encontro.

Assinam o documento o governador de Sergipe, Belivado Chagas, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara; o governador de Alagoas, Renan Filho; do Piauí, Wellington Dias; do Maranhão, Flávio Dino; da Bahia, Rui Costa; da Paraíba, João Azevedo; e do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra.

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias