GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762

09/06/2021 às 05h22m - Atualizado em 09/06/2021 às 23h29m

Com 111 óbitos registrados em 24h, Pernambuco bate recorde de mortes pela Covid-19 em 2021

Pernambuco agora totaliza 16.468 mortes pelo novo coronavírus. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, 502.697 pessoas foram infectadas por Covid-19 desde o início da pandemia.

coronavirus__

A Secretaria SES-PE registrou, nesta terça-feira (08/06), 1.876 casos da Covid-19. Entre os confirmados hoje, 130 (7%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 1.746 (93%) são leves. Agora, Pernambuco totaliza 502.697 casos confirmados da doença, sendo 46.451 graves e 456.246 leves, que estão distribuídos por todos os 184 municípios pernambucanos, além do arquipélago de Fernando de Noronha.

Além disso, o boletim registra um total de 416.397 pacientes recuperados da doença. Destes, 26.552 eram pacientes graves, que necessitaram de internamento hospitalar, e 389.845 eram casos leves.

Também foram confirmados laboratorialmente 111 novos óbitos (61 masculinos e 50 femininos), ocorridos entre os dias 25/07/2021 e 07/06/2021. As novas mortes são de pessoas residentes dos municípios de Abreu e Lima (3), Agrestina (1), Amaraji (1), Bodocó (1), Bom Conselho (1), Bom Jardim (1), Buíque (1), Cabo de Santo Agostinho (5), Camaragibe (1), Camocim de São Félix (1), Canhotinho (1), Carpina (2), Caruaru (1), Cedro (1), Chã Grande (1), Condado (1), Cumaru (1), Escada (1), Exu (1), Ferreiros (1), Garanhuns (1), Goiana (1), Gravatá (4), Igarassu (2), Iguaracy (1), Ilha de Itamaracá (1), Ipojuca (2), Itambé (1), Jaboatão dos Guararapes (13), Limoeiro (1), Moreno (2), Orobó (1), Paulista (5), Pedra (1), Petrolina (3), Recife (30), Riacho das Almas (1), Sairé (1), Santa Cruz (1), São Bento do Uma (1), São Caitano (1), São José da Coroa Grande (1), São Lourenço da Mata (4), Taquaritinga do Norte (3), Timbaúba (1) e Vitória de Santo Antão (1). Com isso, o Estado totaliza 16.468 mortes pela doença.

Os pacientes tinham idades entre 28 e 97 anos, além de um bebê de 11 meses. As faixas etárias são: 0 a 9 (1), 20 a 29 (1), 30 a 39 (13), 40 a 49 (12), 50 a 59 (32), 60 a 69 (23), 70 a 79 (13), 80 ou mais (16). Do total, 75 tinham doenças preexistentes: doença cardiovascular (45), diabetes (31), hipertensão (15), obesidade (12), tabagismo (5), doença respiratória (3), doença hepática (1), câncer (1) e etilismo (1) – um paciente pode ter mais de uma comorbidade. Os demais seguem em investigação.

Com relação à testagem dos profissionais de saúde com sintomas de gripe, em Pernambuco, até agora, 29.849 casos foram confirmados e 51.933 descartados. As testagens entre os trabalhadores do setor abrangem os profissionais de todas as unidades de saúde, sejam da rede pública (estadual e municipal) ou privada. O Governo de Pernambuco foi o primeiro do país a criar um protocolo para testar e afastar os profissionais da área da saúde com sintomas gripais.

BALANÇO DA VACINAÇÃO

O Estado de Pernambuco ultrapassou, nesta terça-feira (08/06), a marca de 3 milhões de doses aplicadas da vacina contra a Covid-19 na população pernambucana. Foram exatas 3.099.860 doses dos imunizantes. Com isso, 2.135.181 pessoas já receberam a primeira aplicação e 964.679 pernambucanos e pernambucanas finalizaram o esquema com as duas doses.

Os dados são atualizados e divulgados diariamente pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) no boletim epidemiológico da Covid-19 e também podem ser acessados no portal.saude.pe.gov.br.

Em relação à primeira dose, já alcançaram a meta mínima de vacinação – que corresponde a 90% do público – os trabalhadores da saúde; povos indígenas aldeados; idosos institucionalizados; idosos a partir dos 70 anos e pessoas com deficiência institucionalizadas. Já para a segunda dose, a meta foi alcançada pelo grupo dos povos indígenas aldeados; idosos institucionalizados e pessoas com deficiência institucionalizadas.

Ao todo, foram feitas a primeira dose em 286.328 trabalhadores de saúde; 25.925 povos indígenas aldeados; 41.942 em comunidades quilombolas; 7.636 idosos em Instituições de Longa Permanência; 604.530 idosos de 60 a 69 anos; 396.118 idosos de 70 a 79 anos; 200.098 idosos de 80 anos e mais; 1.398 pessoas com deficiência institucionalizadas; 16.756 trabalhadores das forças de segurança e salvamento; 308.497 pessoas com comorbidades; 17.480 pessoas com deficiência permanente; 40.491 gestantes e puérperas; 78.348 pessoas de 50 a 59 anos; 416 pessoas em situação de rua, 344 pessoas privadas de liberdade; além de 108.874 trabalhadores de serviços essenciais.

Em relação à segunda dose, já foram beneficiados 215.470 trabalhadores de saúde; 25.587 povos indígenas aldeados; 1.190 em comunidades quilombolas; 5.586 idosos institucionalizados; 257.436 idosos de 60 a 69 anos; 314.509 idosos de 70 a 79 anos; 138.852 idosos de 80 anos e mais; 1.181 pessoas com deficiência institucionalizadas; 4.859 trabalhadores das forças de segurança e salvamento e 9 trabalhadores de serviços essenciais, totalizando 964.679 pessoas que já finalizaram o esquema.

INFLUENZA

A partir desta quarta-feira (09/06), mais 991,5 mil pernambucanos estão aptos a tomar a vacina contra a influenza, que protege contra três tipos do vírus – A(H1N1), A(H3N2) e B. Nessa terceira fase estão contemplados: pessoas com comorbidades e com deficiência permanente, trabalhadores portuários e de transporte coletivo rodoviário de passageiros, trabalhadores de força de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade, população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socieoeducativas. Com isso, totalizam mais de 3,5 milhões de pessoas no Estado aptas a participar da campanha, que segue até o dia 9 de julho.

Nas duas fases anteriores da campanha já estavam sendo vacinados os trabalhadores de saúde, povos indígenas, crianças entre 6 meses e 5 anos, gestantes, puérperas, professores e idosos. Todos ainda podem ir a uma sala de vacinação em busca da sua proteção. “Toda a população inclusa nos grupos prioritários dessa campanha pode e deve se vacinar. Essa é uma vacina segura e que evita casos graves e óbitos provocados pela influenza, além de ser um direito à saúde desse público. Os municípios estão abastecidos das vacinas e prontos para vacinar”, afirma a superintendente de Imunizações da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), Ana Catarina de Melo.

Até o momento, o Ministério da Saúde (MS), responsável pela aquisição das vacinas e distribuição aos Estados, já enviou 2,7 milhões de doses para Pernambuco. De acordo com o LocalizaSUS, sistema de informação do órgão federal preenchido pelos municípios, já foram aplicadas 903.803 doses no Estado.

É importante lembrar que é preciso um intervalo mínimo de 14 dias entre a aplicação das vacinas contra a influenza e Covid-19 para aquelas pessoas que estão elegíveis em ambas as campanhas. “Orientamos tomar primeiro a vacina contra a Covid-19 devido a atual situação epidemiológica do Estado e, passado os 14 dias, fazer a da influenza”, frisa Ana Catarina.

 

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias