Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

09/03/2015 às 11h13m - Atualizado em 09/03/2015 às 11h19m

Jaboatão: Troca de tiros entre vigilante e assaltantes deixa um morto

Crime ocorreu neste domingo (8), dentro de escola no bairro de Vila Rica. Suspeito morreu no local; segurança levou tiros nas mãos, mas passa bem.

Crime ocorreu dentro de escola estadual em Jaboatão, no Grande Recife

Uma troca de tiros durante uma tentativa de assalto deixou um homem morto, na manhã deste domingo (8), em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. De acordo com a Polícia Militar, dois homens tentaram assaltar um vigilante de uma escola estadual e houve troca de tiros. Um dos suspeitos foi atingido e morreu no local. O outro conseguiu fugir.

O vigilante de 42 anos levou um tiro que transfixou a mão direita e outro de raspão na mão esquerda. Ele foi levado ao Hospital Dom Hélder Câmara, no Cabo de Santo Agostinho, também no Grande Recife, depois prestou depoimento no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no Recife, e foi liberado.

O crime ocorreu por volta das 6h, na Escola Estadual Nestor Gomes de Moura, que fica na Rua João Martins, em Vila Rica. O delegado do DHPP, Ricardo Silveira, contou que, em depoimento, o vigilante narrou que estava acontecendo um jogo de futebol na quadra da escola e os dois suspeitos chegaram pedindo água. "Ele desconfiou e ficou preparado. Quando um deles tirou a arma da cintura, ele foi um pouco mais rápido e disparou", disse.

O delegado informou que, antes de morrer, o suspeito armado ainda descarregou as cinco balas que estavam no revólver contra o vigilante. Apenas um dos tiros falhou. "O vigilante teve sorte. Ele ainda carregou a arma e foi atrás do outro suspeito, que conseguiu fugir. Ainda vamos ouvir algumas testemunhas, mas acreditamos que os suspeitos foram à escola para roubar e o vigilante agiu em legítima defesa", apontou.

Ainda no hospital, o segurança recebeu a visita de representantes da empresa Prosegur, onde trabalha, e do Sindicato dos Vigilantes de Pernambuco. "A vulnerabilidade na profissão é grande. A gente tem trabalhado essa questão, que é constante, tanto em empresas de segurança quanto no Estado, junto ao sindicato nacional", afirmou o representante da entidade, Sandro José Alves.


Com informações do G1PE

Foto: Reprodução/ TV Globo

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias