GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

06/04/2020 às 04h05m - Atualizado em 06/04/2020 às 04h28m

Mundo ultrapassa marca de 260 mil recuperados do coronavírus

Levantamento aponta que 264.807 pessoas já testaram negativo para o coronavírus após contrair a doença. No Brasil, a Johns Hopkins contabiliza 127 confirmações de altas de pacientes.

coronavirus__ 

O número de recuperados do novo coronavírus (COVID-19) em todo o mundo é quase quatro vezes maior que o total de óbitos registrados. Segundo levantamento da universidade americana Johns Hopkins, no início da madrugada desta segunda-feira (6), 264.807 pessoas já se recuperaram da doença em todo o mundo. O total de mortes contabilizadas é de 69.464.

A Johns Hopkins atualiza dados sobre o novo coronavírus em tempo real, extraindo dados de fontes diversas ao redor do mundo. Os dados são diferentes dos utilizados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que apenas contabiliza casos enviados pelos órgãos máximos de saúde dos países membros. 

Pelos dados da universidade, o mundo hoje tem 1.274.022 casos de coronavírus - ao menos 45.592 de pacientes cujo estado é considerado grave. 

A China, primeiro país a registrar a doença, lidera as estatísticas de recuperações, com 77.078 pacientes de alta desde o início dos casos. A Espanha ocupa o segundo lugar mundial, com 38.080 recuperados.

Em terceiro lugar, aparece a Alemanha, com 28.700 altas notificadas. País com mais mortes registradas (15.887), a Itália aparece em quarto no total de recuperações, com 21.815 curas bem-sucedidas. 

Irã (22.011) e Estados Unidos (17.977) aparecem na sequência no total de pacientes recuperados. 

No Brasil, a Johns Hopkins contabiliza 127 confirmações de altas de pacientes. 

Segundo especialistas, ainda não é possível afirmar com convicção se as pessoas recuperadas podem ou não ser infeccionados pelo novo coronavírus novamente no futuro. Estudos indicam que a criação de anticorpos para a doença impede novo contágio, mas o pouco tempo de observação ainda não possibilita conclusões. 

Fonte: CNN I nternacional

Leia também: O novo coronavírus pode permanecer até 3 dias em superfícies; diz cientistas 

DEIXE SEU COMENTÁRIO NO FINAL DA MATÉRIA

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias