GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

10/10/2019 às 11h30m - Atualizado em 10/10/2019 às 13h14m

Timbaúba: Ministério Público quer que Polícia Civil investigue autores de publicações em redes sociais sobre possíveis compras de votos nas eleições do Conselho Tutelar no último domingo

Promotor de justiça, Doutor João Elias, entregou ao delegado de Timbaúba, Rodrigo Leite, áudios e prints de postagens no Facebook e grupos de WhatsApp para serem investigados.

policia_civil-mppe_2

Doutor João Elias da Silva Filho, promotor de justiça da 2ª Promotoria de Justiça de Timbaúba, município localizado na Mata Norte de Pernambuco, se reuniu na tarde desta quarta-feira (9), com o doutor Rodrigo de Queiroz Leite, delegado de polícia de Timbaúba. O objetivo do encontro foi para encaminhar uma requisição para a abertura de inquérito policial com a finalidade de apurar publicações nas redes sociais sobre possíveis compra e venda de votos com a intenção de fraudar a eleição para o cargo de conselheiro tutelar de Timbaúba.

Na oportunidade, o representante do MPPE entregou a Polícia Judiciária, áudios e prints de postagens no Facebook e grupos de WhatsApp para que o delegado aprofunde as investigações. Esse material foi colhido e enviado para o MPPE pela presidência da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Subseccional Timbaúba.  

policia_civil-mppe_1

Por sua vez, doutor Rodrigo Leite informou que após a análise do conteúdo das provas documentais enviadas pelo MPPE, irá empreender diligências para verificar o que realmente aconteceu, se ouve compra e venda de votos com a intenção de fraudar as eleições ou se trata de outro crime, denunciação caluniosa ou falsa comunicação de crime. O delegado disse ainda que irá averiguar todas as possiblidades, ouvir envolvidos, colher elementos, informações e após a conclusão, o inquérito será remetido ao Ministério Público onde será analisado a necessidade de se instaurar uma ação penal para punir os culpados de acordo com a lei.

Confira a entrevista exclusiva com o Promotor de Justiça Dr. João Elias da Silva Filho:

 

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias