GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

09/11/2019 às 15h18m - Atualizado em 10/11/2019 às 12h10m

Dois policiais civis são presos por suspeita de fazer escolta a caminhão com mais de uma tonelada de maconha em São Paulo

Eles foram flagrados por policiais militares em Mirandópolis, no interior de São Paulo.

sao_paulo-viatura_policia_civil

Dois policiais civis de São Paulo foram presos por policiais militares em Mirandópolis, no interior do estado, suspeitos de fazer escolta para traficantes que transportavam mais de uma tonelada de maconha. Eles devem ser transferidos para a capital nesta sexta-feira (8).

Os investigadores saíram com a viatura da delegacia em Guaianases, na Zona Leste, e foram presos no interior do estado.

Segundo os policiais militares, a viatura com os policiais civis fazia a escolta de um caminhão carregado com 1.255 tijolos de maconha, mais de uma tonelada da droga. Na viatura estavam os investigadores Aluani Elísio Petinelli, 54 anos, e Ivan Lima Caetano, 37 anos.

Os PMs tinham desconfiado dos dois policiais quando os encontraram num posto de gasolina e ligaram para São Paulo para saber se eles estavam investigando algum crime. A resposta foi negativa.

No veículo oficial da polícia também estava Rodrigo Braga Moreira, que disse aos policiais militares que foi abordado em um posto pelos policiais civis e que teria recebido a quantia de R$ 10 mil para pegar o caminhão e levar para São Paulo, mas que não sabia o que tinha no caminhão.

Quem estava dirigindo o caminhão também foi preso. É Genival Custódio de Melo, que disse que foi fazer um favor aos policiais civis.

Os investigadores disseram aos policiais militares que suspeitavam que tinha entorpecente na carroceria e estariam escoltando para a apresentação na delegacia.

Gil Outuze, advogado dos investigadores, disse que "eles acreditam que tenha sido uma armação contra eles. Vieram na surdina, a trabalho, para que fosse feito o flagrante nessa carga monstruosa de drogas e foram abordados pela Polícia Militar numa situação que deixou em dúvida se eles estavam envolvidos ou não a essa associação de criminosos a favor dos traficantes."

As armas dos policiais foram apreendidas.

A Secretaria da Segurança Pública informou que o caso foi registrado como tráfico de drogas e associação criminosa.

A Corregedoria Auxiliar de Araçatuba instaurou inquérito policial para apurar os fatos. A Secretaria da Segurança Pública disse que não compactua com desvios de conduta dos agentes e defende a investigação rigorosa de todas as denúncias.

Do G1 São Paulo

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias