GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

25/07/2019 às 02h31m - Atualizado em 25/07/2019 às 02h47m

Tragédia: Onze pessoas morrem devido às chuvas no Grande Recife

Mortes foram registradas no Recife, em Olinda e em Abreu e Lima pelo Corpo de Bombeiros. Previsão é de que a chuva persista nesta quarta (24). Grávida segue desaparecida.

chuva-deslizamento_de_barreirasInformações: G1 PE

As chuvas que atingem a Região Metropolitana do Recife (RMR) desde a madrugada desta quarta-feira (24) levaram à morte de 11 pessoas, segundo o Corpo de Bombeiros. O temporal também derrubou barreiras e árvores e causou diversos pontos de alagamento, que dificultaram a circulação dos ônibus. Em algumas cidades da RMR, aulas da rede municipal foram canceladas. 

Quatro mortes registradas pelos Bombeiros ocorreram em Olinda, sendo duas no bairro de Águas Compridas e duas no Passarinho. Outras quatro mortes ocorreram em um deslizamento em Caetés, em Abreu e Lima. Três pessoas morreram na Zona Norte do Recife, nos bairros de Dois Unidos e Passarinho. 

O deslizamento em Caetés também deixou a jovem Maria Eduarda, de 21 anos, desaparecida. Ela está grávida de 8 meses e os bombeiros seguem fazendo buscas para encontrá-la. Na mesma família, ficou ferida Ariana Tereza Xavier da Silva, de 39 anos. Ela está internada no Hospital Miguel Arraes, em Paulista, onde passou por cirurgia e segue internada na Unidade de Terapia Intensiva.

Ariana está em estado grave, sedada e está respirando com a ajuda de aparelho. Ela parente das três pessoas que morreram morreram e da grávida de 8 meses que desapareceu após ser soterrada.

Veja quem morreu devido às chuvas no Grande Recife

  • Natalicio Vicente da Silva, 69 anos, no Passarinho, no Recife
  • Ivonete Maria da Silva, 63 anos, no Passarinho, no Recife
  • Josafá Barbosa da Costa, 34 anos, em Dois Unidos, no Recife
  • Mariana Xavier, 18 anos, em Caetés, em Abreu e Lima
  • Luiz Henrique, 15 anos, em Caetés, em Abreu e Lima
  • Adalmir Ferreira dos Santos, 53 anos, em Caetés, em Abreu e Lima
  • Silvano Silva, 49 anos, em Caetés, em Abreu e Lima
  • Iraci Maria da Conceição, 78 anos, em Águas Compridas, em Olinda
  • Abraão Batista da Silva, 25 anos, em Águas Compridas, em Olinda
  • Diego, de idade não informada, no Passarinho, em Olinda
  • Elisângela, de idade não informada, no Passarinho, em Olinda

Outros deslizamentos

Em Dois Unidos, no Recife, cinco vítimas foram soterradas após um deslizamento de barreira. Segundo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), elas foram retiradas do local com escoriações.

No Córrego do Joaquim, em Nova Descoberta, no Recife, uma barreira deslizou e duas casas foram atingidas. Ao todo oito pessoas estavam nas duas residências atingidas. Sete ficaram feridas e foram socorridas para UPA de Nova Descoberta. Em seguida, foram encaminhadas ao Hospital da Restauração.

Em Jaboatão dos Guararapes, sete barreiras deslizaram. Segundo a prefeitura, ninguém ficou ferido, mas as famílias precisaram deixar suas casas. A Defesa Civil pode ser acionada, no município, pelos telefones 0800 281 20 99 ou (81) 9 9195 6655.

Houve 18 ocorrências envolvendo deslizamentos de barreiras, nos bairros de Vila Torres Galvão, Mirueira, Artur Lundegren II e Jardim Paulista. Não houve vítimas e 12 casas foram interditadas. A população pode acionar a Defesa Civil no telefone 153.

Acionado para socorrer feridos, o Samu também registrou deslizamentos de barreiras em Olinda, no Córrego do Abacaxi, Estrada do Passarinho e no Alto Nova Olinda; na Rua do Bosque, em Paulista, e em Caetés, em Abreu e Lima.

Até as 19h desta quarta (24), a Coordenadoria da Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe) contabilizou 1096 pessoas desalojadas em Abreu e Lima, Paulista, Igarassu, Jaboatão e no Recife. Em Olinda, a prefeitura informou que havia 110 pessoas fora de suas casas, até pouco antes das 17h. O total é de, ao menos, 1206 desalojados.

Dos desalojados em Olinda, 70 estão na escola municipal Pró-menor e 40 pessoas no estádio Grito da República, ambos abrigos no bairro de Rio Doce. Na capital, a prefeitura contabilizou, até as 16h40, 56 famílias desalojadas, com 224 pessoas fora de casa. Nenhuma foi para abrigos. 

No Recife, a Defesa Civil do município informou às 11h desta quarta (24) que o acumulado de chuvas de mais de 241 mm nos últimos cinco dias equivale a 20 dias da média histórica do período, o que corresponde a 357 mm, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Em Paulista, choveu 140 mm, até as 19h30 desta quarta (24). Isso equivale ao esperado para 15 dias do mês de julho. A Defesa Civil do município atendeu a 174 chamadas, sendo 88 de aplicação de lonas, 67 para vistorias técnicas e 20 pedidos de orientações.

Em Igarassu, até as 18h, cerca de 300 pessoas estavam desalojadas. Alguma delas foram para a casa de parentes e outras, levadas para a Escola Nossa Senhora da Conceição, no bairro do Agamenon.

De acordo com a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), as chuvas no Grande Recife e Zona da Mata devem diminuir de intensidade, mas persistem durante todo o dia. Na terça (23), a Agência havia renovado o alerta para chuvas moderadas a fortes nas duas regiões.

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias