GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

26/08/2020 às 23h31m - Atualizado em 27/08/2020 às 01h16m

Vereador acusa outro parlamentar de furto de celular e de 'ter pacto com satanás' na Câmara de Camaragibe

O discurso com acusações e xingamentos foi feito na sessão semanal da Câmara de Camaragibe, na terça-feira (25).

sessao_tumutuada

Um vereador de Camaragibe, no Grande Recife, usou a tribuna da Câmara Municipal para acusar outro parlamentar de furto de um celular que estaria sobre mesa de comando do Legislativo. José Roberto, conhecido como Roberto da Loteria (sem partido), disse que Antônio Oliveira, o Toninho (PT), ligado a grupos evangélicos, "tem um pacto com satanás".

O discurso com acusações e xingamentos foi feito na sessão semanal da Câmara de Camaragibe, na terça-feira (25). Nesta quarta (26), a presidência do Legislativo publicou uma nota oficial nas redes sociais, "pedindo desculpas à população".

O presidente da Câmara, vereador Paulo André (PSB) disse ao G1, nesta quarta, que o Legislativo Municipal vai abrir um processo por quebra de decoro contra Roberto da Loteria.

Três trechos vídeos contendo o discurso de Roberto da Loteria circularam, nesta quarta, pelas redes sociais e grupos de WhatsApp.

Em um deles, o vereador, que está na tribuna olhando para o opositor Toninho, afirma que o celular foi furtado da mesa diretora no dia da votação do processo de impeachment do ex-prefeito Demóstenes Meira (PTB), em novembro de 2019.

O ex-prefeito foi apontado pela polícia por envolvimento em desvios de dinheiro e chegou a ficar preso. Meira foi solto este ano, após nove meses.

"Depois do Impeachment de Meira, o celular foi roubado desta mesa aqui", afirmou Roberto da Loteria, batendo na madeira.

Em seguida, ele faz a acusação contra Toninho. "Eu digo com propriedade que quem roubou meu celular foi vossa excelência", declarou, olhando e apontando o dedo para o opositor, que estava na cadeira ao lado.

Ainda no discurso, Roberto disse que Toninho entregou o suposto celular roubado a um filho e depois a um assessor. "Seu filho jogou o celular no canal. Achavam que tinham milhões de gravações contra ele", declarou.

O segundo trecho, o mais curto, tem palavras de baixo calão. Roberto da Loteria fala sobre cargos e profere xingamentos contra Toninho.

Ele se referia a uma possibilidade de Toninho ganhar a eleição para a presidência da Casa novamente e sobre possíveis acordos envolvendo ocupações políticas na Câmara. "Você pega essas cargos e ...."

Na última parte, o parlamentar relata a relação do opositor com as religiões evangélicas. "Vossa excelência fala tanto em Deus e chora por Deus. Na verdade, acho que tem mesmo é um pacto com satanás".

Repercussão

Diante da repercussão do caso, a Câmara Municipal de Camaragibe publicou uma nota oficial. No documento, divulgado em redes sociais, o presidente da Casa, Paulo André, diz que a atitude não tem respaldo do Legislativo.

"Considerando a manifestação do Vereador Roberto da Loteria, proferida na sessão plenária de 25 de agosto de 2020, vem a público ressaltar que tal atitude do parlamentar não reflete a opinião da Casa Vicente Lacerda de Menezes.

Ainda segundo a nota, "a Câmara Municipal é um espaço democrático, com pensamentos divergentes, contudo, de forma alguma, compartilha de manifestações ou atitudes que possam atingir negativamente qualquer ser humano ou instituição".

Também no documento, o vereador pede desculpas à sociedade Camaragibense, "sobretudo aos presentes na sessão".

Ele ressalta, ainda, que "a missão de bem representar a comunidade e efetivar seus compromissos legislativos e constitucionais, onde jamais iremos apoiar ou defender qualquer forma de propagação do ódio.

"Reafirmamos que toda e qualquer situação não pode ser generalizada, lamentando profundamente o ocorrido".

Por fim, a presidência do Legislativo informa que "estão sendo realizados os pertinentes encaminhamentos para a apuração de possível falta grave e decoro parlamentar, se todos os vereadores entenderem que deve se abrir um processo por tal ato, serão tomadas as providências necessárias por parte do Poder Legislativo".

Na entrevista ao G1, Paulo André disse que na próxima sessão da Casa, na terça-feira (1º), os vereadores vão receber áudios, atas e as transcrições das falas de Roberto da Loteria.

"Todos vão ter a oportunidade de avaliar a situação. O vereador Toninho terá direito de resposta. Temos que salientar que imunidade parlamentar tem limite", declarou.

Envolvidos

O vereador Toninho afirmou, por telefone, nesta quarta, que o caso está sendo tratado pelos advogados. "Ele é que tem que provar o que disse", declarou.

Sobre a questão do roubo, o parlamentar afirmou que "está com a consciência tranquila". A respeito da das frases sobre religião, Toninho disse que "todos da igreja me conhecem e, por isso, não termos dificuldade de provar o que aconteceu".

O vereador Roberto da Loteria afirmou que não se arrepende de nenhuma acusação que fez na tribuna da Câmara. "Só lamento ter dito palavrões", disse ao G1, por telefone.

O parlamentar afirmou que "está enjoado da política" e que não vai tentar a reeleição. "Não tenho medo de repercussão criminal. Não tenho medo de nada. Não sou louco de dizer o que disse sem prova. Sou um homem ", declarou.

 

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias