GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

02/10/2019 às 08h23m - Atualizado em 02/10/2019 às 15h46m

Homem é preso suspeito de manter esposa cega trancada em casa sem comida e acesso ao banheiro

Vítima afirmou que ficou cega recentemente após um acidente vascular cerebral (AVC) e que, desde que isso aconteceu, o marido a deixava trancada. Ela tem três filhos.

violencia-estupro-refem

Um homem foi preso na tarde desta terça-feira (1º), em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais do Paraná, suspeito de manter a esposa cega em cárcere privado.

A Guarda Municipal disse que resgatou a mulher, de 27 anos, que estava trancada dentro de uma casa. A porta estava fechada com uma corrente e as janelas também estavam fechadas. A mulher não tinha acesso ao banheiro e nem a comida.

“No começo ele sempre deixava bolachinha salgada, bolachinha doce. Agora não. Ele me deixava trancada lá dentro e entregava a chave para a irmã dele. Eu reclamava muito, porque não achava certo. Sempre falei, sempre chorei, sempre queixei, mas ninguém deu bola", afirmou ela.

A mulher afirmou que ficou cega recentemente após um acidente vascular cerebral (AVC) e que, desde que isso aconteceu, o marido a deixava trancada. Ela tem três filhos.

Depois de ser resgatada, a vítima afirmou que o marido, de 42 anos, saía para trabalhar cedo e voltava à noite, e que ela ficava sem se alimentar durante esse tempo.

A guarda informou que foram testemunhas que denunciaram a situação. A vítima era mantida em cárcere todos os dias, segundo eles.

A irmã do suspeito sabia da situação e foi ela quem abriu o cadeado para que os agentes da guarda entrassem.

A polícia conseguiu prender o suspeito em flagrante. Ele foi levado para a delegacia e, de acordo com a delegada que abriu um inquérito para apurar a suspeita, o homem foi autuado por cárcere privado e maus-tratos, crimes que podem levar até oito anos de prisão.

Segundo a polícia, como essa mulher tem uma filha menor de idade, essa criança vai ser encaminhada para uma casa de acolhida para passar por formação e também ter apoio psicológico e assistência social.

Do G1 Paraná

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias