GB Bateiras Auto Elétrica e Mecânica. Em Timbaúba (81)3631-0979 e Carpina (81)3621-3762
Vem para ubafibra | Ubannet (81) 3631-5600

15/12/2019 às 02h15m - Atualizado em 15/12/2019 às 09h01m

Vigilante é morto com tiro no abdômen por policial militar durante abordagem, na Paraíba

Moradores protestaram a morte da vítima ateando fogo em pneus e impedindo tráfego de veículos em via. PM diz que vítima teria sido baleada após reagir à abordagem.

homem_morto_por_policial_militar_-_copiaAs informações são do G1 Paraíba

Um homem foi morto durante uma abordagem da Polícia Militar, na manhã deste sábado (14), em Campina Grande. De acordo com a PM, Tácio Pereira de Lima, de 27 anos, teria sido baleado no abdômen por um dos policiais militares após reagir à abordagem. A vítima chegou a ser socorrida e levada para o Hospital de Emergência e Trauma da cidade, mas já chegou morta à unidade de saúde.

Após a morte da vítima, os moradores do bairro da Palmeira, onde o caso aconteceu, realizaram um protesto na rua Quinze de Novembro, no bairro da Palmeira, onde o caso aconteceu. Pneus foram queimados e colocados no meio da rua, impedindo o tráfego de veículos no local.

De acordo com relato de testemunhas ao G1, Tácio Pereira não teria reagido à abordagem da polícia. A vítima teria saído de casa para comprar um remédio quando foi abordada pelos PMs. Ao tentar tirar um documento do bolso para se identificar, o homem foi baleado por um dos policiais, segundo as testemunhas.

“Eu era vizinha desse rapaz, ele era um menino bom, educado, trabalhador, tinha uma filhinha. Ia comprar uma medicação quando a polícia abordou ele, aí ele foi tirar um documento do bolso, ele pensaram que ele tava armado e deram um tiro nele. Nós estamos aqui fazendo protesto porque ele era um menino direito, um pai de família”, disse Mônica Moura, vizinha da vítima.

Segundo os moradores, a abordagem da polícia aconteceu por volta das 9h. Após atirar na vítima, os policiais teriam deixado o corpo do homem no local e saído na viatura. A vítima foi socorrida e levada para o Hospital de Trauma de Campina Grande, mas já chegou morta na unidade de saúde.

“Existem outras formas de abordagem, não precisava disso. Era só ter pedido para ele descer da moto, mas já foram atirando nele, pra matar mesmo. Todo mundo conhecia ele aqui, era um pai de família, não era bandido não”, disse outra moradora.

Após a chegada da polícia, uma equipe do Corpo de Bombeiros também foi acionada ao local para controlar o fogo. Até as 13h deste sábado (14), a polícia e os bombeiros permaneciam no local.

“A filha dele é recém-nascida, e agora? Quem é que vai cuidar dela. Isso é um covardia. Eles só fazem isso com quem é pobre, só matam pobre”, afirmou outra moradora do bairro.
Ainda conforme a PM, os policiais militares que estavam durante a abordagem à vítima foram encaminhados à Central de Polícia Civil de Campina Grande para esclarecimento do caso. O corpo da vítima foi levado para o Núcleo de Medicina e Odontologia Legal (Numol) da cidade.

Comentários

Comentário pelo Facebok
Outros comentário

Outras notícias